Skip to content

Estoques na macroeconomia

agosto 6, 2010

O estoque é uma das primeiras variáveis abordadas nos livros de macroeconomia contemporânea. Sua influência está intimamente ligada à oferta agregada, visto que o nível de estoques nos modelos keynesianos é tratado como toda a produção que não foi vendida, ou seja, trata-se dos estoques voluntários e involuntários das empresas.

Esse estoque influencia a produção por diversos canais. Primeiro, os estoques voluntários são aqueles reservados para um consumo previsto pelas empresas, ou seja, estocam para atender uma demanda futura, por exemplo, os períodos pré-lançamento de alguma mercadoria, cujos bens ficam em estoque até a data do lançamento. Por outro lado, esse comportamento pode ser de precaução, evitando o risco de falta de produtos para atender a demanda (também conhecido como custo da falta). Um caso menos comum é o estoque utilizado para reserva de encomenda, ou seja, em setores que trabalham sobre encomenda é adotado o estoque até a retirada do produto pelo cliente.

Já o estoque involuntário é, na maioria dos casos, prejudicial para a empresa e a econômica como um todo. Quando há estoque de bens finais é um reflexo das vendas abaixo do previsto, já no caso dos insumos, é o reflexo do planejamento inadequado da utilização dos recursos. Em todo o caso é um sintoma preocupante para a empresa que dele faz uso.

Na economia o estoque tem uma influência importante em momentos de grande pico de produção e de recessão econômica. Em períodos iniciais de altos níveis de demanda, a oferta precisa se adequar a nova demanda aumentando o seu nível de produção. Caso haja grandes estoques os preços tendem a subir com menor aceleração do que em economias com estoques menores. Essa é uma conclusão fácil de se tirar ao imaginar que na medida em que o ofertante não tem produto em estoque ele aumentará o preço mais rápido, visto que a demanda está acima de sua capacidade de oferta. Portanto, o estoque é um gargalo entre o aumento da demanda e o aumento na oferta, enquanto a demanda aumenta a oferta aumenta para corresponder a demanda, porém, esse aumento não é simultâneo, necessitando do estoque para suprir a maior demanda em ascensão.

O inverso pode ocorrer em períodos de recessão econômica. Em início de recessões, a empresa nem sempre encara a queda da demanda como fenômeno de vários meses, ela pode admitir que a queda da demanda seja transitória e que os próximos meses pode haver recuperação. Assim, a mesma continua a alimentar o estoque até concluir que não há tendência de recuperação da demanda. Quando admitido tal cenário, ela reduz sua produção e passa a escoar o estoque que não é necessário, essa atitude demonstra o porquê de várias empresas reduzirem drasticamente a produção de um dia para outro. O estoque, então, é um determinante da queda de produção em períodos de recessão, visto que empresas com grandes estoques e pouca demanda não tem justificativa para manter a produção em escalar habitual, sendo a queda de produção mais brusca quanto maiores os estoques involuntários.

Os pressupostos de escolhas racionais e simetria das informações são poderosos na perspectiva das escolhas de estoques, já que os agentes econômicos determinam sua produção e estoque de acordo com previsões econômicas. É, também, uma das variáveis chaves que determinam o nível e tempo de impacto das políticas macroeconômicas adotadas pela nação.

One Comment leave one →
  1. agosto 8, 2010 16:34

    Ola, gostei muito dos dois ultimos posts. Uma verdadeira aula, parabens. Quando buscamos ensinar as coisas acabamos aprendendo um pouco tambem. Abraços

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: