Skip to content

Multinacionais. Os Prós e Contras.

junho 10, 2010

Países em desenvolvimento como o Brasil, necessitam de investimentos estrangeiros para acelerar o crescimento nacional. Essa dependência não se resume apenas a expansão da capacidade produtiva, mas, também, ao avanço da tecnologia e diversificarão das exportações. Antes de afirmar que, no final das contas, a presença de multinacionais trás benefícios ou malefícios, é indispensável avaliar os dois lados da moeda.

Os prós

Ao se instalar uma multinacional, o investimento estrangeiro alimenta positivamente o balanço de pagamentos, na medida em que a empresa adquire a moeda nacional para as transações necessárias. Esse investimento ocorre, também, quando é ampliada a capacidade produtiva das indústrias já instaladas. Outro benefício indiscutível é a transferência de tecnologia, visto que empresas estrangeiras poderão enviar máquinas e equipamentos que ainda não estão disponíveis na indústria do país hospedado. Este bem se estende às habilidades humanas, como inovações de técnicas administrativas e de produção, melhorando a mão de obra do país acolhedor.

Uma vantagem, não tão evidente, é a necessidade de encontrarem fornecedores locais para a redução dos gastos com insumos importados. A demanda, além de gerar clientes para empresas nacionais, força a adequação dessas às novas tecnologias e processos da estrangeira. Aumentando o Know How do país anfitrião.

Muitas vezes, a empresa estrangeira supre setores nos quais o investimento nacional é inviável (falta de recursos ou tecnologia), ampliando a capacidade instalada. Assim, pode-se atender alguma demanda interna que esteja inflacionando os preços, em certos casos, demanda que inevitavelmente consumiria importados.

Os contras

Contudo, a entrada de multinacionais tem seus lados negativos. Um deles é a remessa de lucros da filial para a matriz no exterior, que impactam negativamente na receita cambial. Tais movimentos ficam claros nos períodos de crises, em 2008, por exemplo, matrizes foram mais abaladas que filiais instaladas no Brasil, obrigando remessas emergenciais.

No caso brasileiro, a legislação limita o percentual do lucro permitido para a remessa. A política de restrição visa evitar empresas sanguessugas, porém, existem outras formas de remessa que dificultam a fiscalização. Uma delas é a venda de insumos superfaturados da matriz para a filial, assim, além de reduzir a incidência de impostos devido à queda dos lucros da filial (prejudicando ao país em que está instalada), a matriz amplifica seus ganhos na medida em que recebe lucros da filial embutidos nos valores dos insumos. Acaba que a perda é grande, pois, esses lucros são altos. Lembrando que a instalação de empresas multinacionais só se torna viáveis com a perspectiva de retornos gordos, visto que empreendimentos em solo estrangeiro implicam em vários riscos.

Outra questão preocupante reside na transferência de tecnologia. Essencialmente, filiais de multinacionais não investem grandes quantias em pesquisa e desenvolvimento, em certos casos adotam apenas o controle de qualidade. Portanto, as inovações partem da matriz para a filial, implicando na tendência de constante dependência tecnológica.

Empresas multinacionais buscam o benefício próprio como qualquer outra empresa privada, portanto, o interesse delas pode entrar em conflito com o interesse nacional. Pode-se citar, por exemplo, quando multinacionais expulsam empresas locais do mercado ou quando uma filial é afeta por problemas de unidades em outros países. A política também é influenciada, como lobby em busca de flexibilização das normas trabalhistas ou a guerra fiscal entre municípios. Por vezes, afetando a soberania nacional.

Como visto, empresas multinacionais não são apenas flores como pregam alguns comentaristas, no entanto, também não são monstros. Bastam políticas que maximizem os benefícios e minimizem o custo social. Temos exemplos bons e ruins por ai, é só observar.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: